Depois de 20 anos sob o comando do PT, Vitória da Conquista, no Sudoeste do estado, terá um prefeito da oposição

Herzem Gusmão venceu segundo turno em Vitória da Conquista. Foto Reprodução: Facebook
Depois de 20 anos sob o comando do PT, Vitória da Conquista, no Sudoeste do estado, terá um  prefeito da oposição pelos próximos quatro  anos. Por 95.710 contra 70.513, um total de 57,58% dos votos válidos, o candidato do PMDB, Herzem Gusmão, venceu a disputa de segundo turno contra o deputado estadual Zé Raimundo (PT)  no terceiro maior colégio eleitoral da Bahia.

Com isso, a aliança de partidos liderada pelo DEM passa a controlar agora os quatro municípios mais populosos do estado. Lista que inclui ainda a capital, Feira de Santana e Camaçari, que serão comandadas a partir de 2017, respectivamente, pelos democratas ACM Neto e Zé Ronaldo, reeleitos para um segundo mandato, e Antônio Elinaldo, que comandará pela primeira vez o maior município da Região Metropolitana de Salvador.

Juntas, as quatro cidades concentram um universo de 2.734.467 milhões de eleitores, o que equivale a cerca de 25% do número de pessoas aptas a votar este ano em todo o estado - 10.570.085, segundo dados mais atualizados do Tribunal regional Eleitoral. Desta, duas estavam sobre controle da base aliada ao governo Rui Costa: Camaçari e Conquista.

Após a vitória, Herzem, que alcançou 47,82% dos votos no primeiro turno e quase venceu a disputa de 2 de outubro, concedeu entrevista para agradecer aos eleitores pela vitória. Na ocasião, assinalou que pretende implantar um “governo de paz”, sem retaliações aos adversários petistas. Para hoje, o peemedebista agendou uma coletiva para detalhar o formato da transição com a equipe do atual prefeito, Guilherme Menezes (PT).


A derrota em Conquista não foi a única do PT no segundo turno. Todos os sete candidatos do partido que duelaram ontem foram batidos por seus adversários. Quem quase escapou da estatística foi o candidato petista em Santa Maria, no Rio Grande do Sul, vencido por menos de 1% de diferença na votação.

O resultado confirma o pior retrospecto da sigla nas urnas desde 2004, quando o partido elegeu 411 prefeitos após a sigla chegar à Presidência da República. Dos 992 candidatos a prefeito que o partido colocou em disputa neste ano, apenas 254 foram eleitos.

Rio e BH
Além de Conquista, única da Bahia que foi às urnas ontem, outras 54 cidades tiveram segundo turno, sendo 18 delas capitais. No Rio de Janeiro, o senador Marcelo Crivella (PRB), foi eleito para comandar a capital fluminense com 59,4% dos votos válidos, quase 10 pontos acima do seu adversário, o deputado estadual Marcelo Freixo (Psol).

Em Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), inicialmente considerado azarão, derrotou por 52,98% dos votos válidos o candidato tucano João Leite, apoiado pelo senador mineiro Aécio Neves (PSDB). O resultado representa uma derrota política para Aécio, que busca espaço para uma segunda candidatura à Presidência.

Outras capitais
Em Porto Alegre, o tucano Nelson Marchezan Júnior venceu a disputa na capital gaúcha com 60,5% dos votos, contra 39,5% de Sebastião Melo (PMDB). No Sul, a grande surpresa foi Florianópolis, Santa Catarina, onde Angela Amin (PP) liderava com mais de 90% das urnas apuradas quando foi ultrapassada por Gean Loureiro (PMDB), eleito com pouco mais de mil votos de diferença.

Em Recife, Geraldo Júlio (PSB) derrotou João Paulo (PT) e foi reeleito para comandar a capital pernambucana. Já em Fortaleza, o também prefeito Roberto Cláudio (PDT), apoiados pelos irmãos Ciro e Cid Gomes venceu a disputa contra Capitão Wagner (PR). Veja mais resultados ao lado.

Do Correio24Horas

Axact

Sobre Nós

A Folha Informativa se faz hoje como a maior coluna de notícias no Estado da Bahia e Nordeste do Brasil. Acompanhe diariamente!

Comentários:

0 comments: